Mentir a certificação (para baixo): quem nunca?

Você começa a mergulhar e se apaixona pela atividade. Acha tudo bom, não liga para o desconforto (e no início eles são muitos: roupa que não é adequada ao frio, roupa apertada no pescoço, máscara que não é legal para o seu rosto, falta de experiência para lidar com o enjôo, para lidar com as correntezas…) e só quer mergulhar mais e mais e vai ficando cada vez melhor e mais confortável, você compra equipamento melhor, vai se aperfeiçoando, fazendo mais e mais cursos, começa a viajar… de repente você é um expert. E as pessoas no barco começam a pedir ajuda a você,  pois já te vêem como referência. Pedem ajuda para montar o equipamento porque o dive master está longe, perguntam sobre o seu equipamento, perguntam sobre um destino de mergulho que você mencionou… ou é você que oferece ajuda ao ver o mergulhador novato se atrapalhando, seja no barco ou dentro da água. Você começa a colecionar carteirinhas de especialidades, impressionando os demais. Aí você percebe que, embora nunca tenha pensado no mergulho como profissão, é melhor fazer logo o curso de Dive Master, já que você acaba cumprindo essa função sem estar devidamente qualificado. Bom, essa foi minha trajetória, há outras; há os que sempre souberam que iam ser instrutor, há os que não estavam planejando mas resolveram ganhar uma graninha com o hobby…whatever. Chegou a hora para você.

Aí você se forma DM ou instrutor. A partir deste momento, você não é mais um turista no barco… mesmo que queira. Quando entra num barco onde já te conhecem, já te colocam de dupla o(s) mergulhadores mais inexperientes ou que tenham problemas ou que estejam há muito parados…

E sua diversão nunca mais será a mesma. Ainda que você vá com seu dupla, podem pedir gentilmente que insiram um terceiro elemento no seu mergulho.

Todos os direitos reservados © José Dias

Por isso é bastante comum aos profissionais do mergulho, quando viajam, não levar a carteira de DM ou instrutor. É melhor levar de avançado, ou rescue, ou de profundo, ou até mesmo de tec, tendo em vista o mergulho que acontece no local visitado, visando somente não arriscar a perder um mergulho por falta de qualificação.

Às vezes te olham desconfiado, mas você sustenta a situação. Você está de férias e não trabalhando, está pagando o mesmo preço que os demais turistas e não quer que fique na sua conta a responsabilidade por mergulhadores inexperientes e (principalmente) mal treinados. E há muitos mergulhadores mal treinados por aí, totalmente dependentes nos seus mergulhos, infelizmente.

Se você não sabia disso fique sabendo, é prática bastante comum entre os DM/ instrutores apresentar a certificação inferior quando viajam como turistas.

P.S. Importante: é um prazer ajudar mergulhadores no barco com o equipamento, com informações, a se equipar, entrar na água, desequipar e tal. A questão é que é jogado muitas vezes para um mergulhador que está lá a turismo a responsabilidade sobre outro mergulhador que é praticamente um batismo, quando essa responsabilidade é da operadora né… de verificar se a certificação e o nível de treinamento estão adequados ao mergulho em questão.

Monica Di Masi

Arquiteta, PhD em Planejamento Energético e Ambiental, Dive Master PADI e Mergulhadora Tech.