O Dive Master mala

Compartilhe este artigo
  • 93
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Já falei do dupla mala, mas também tem o Dive Master mala. Na Florida, em Key Largo, onde fui mergulhar sozinha (e comprar equipamentos, hehehe), quis evitar um dupla mala e contratei mergulho guiado para os naufrágios. Num desses mergulhos tive que enfrentar um típico DM mala. Um alemão que queria tanto mostrar serviço que além de ser irritante acabou produzindo efeitos contrários ao pretendido, que era dar mais segurança ao mergulho.
AMBA0001

Na verdade não acho que ele queria dar mais segurança ao mergulho, mas sim mostrar serviço e merecer uma boa gorjeta, pois lá é costume a gorjeta para a tripulação. Mas ele se deu mal, pois sou brasileira e não dou gorjeta por esse serviço, além do mais, ele me irritou tanto que não fiquei a fim mesmo…

A postura pedante de quem te acha uma retardada, até a máscara ele arrancou da minha mão para lavar de novo. Apareceu com um cilindro gigantesco dizendo que seria para me fornecer ar caso o meu acabasse. Hum. O mergulho que estávamos fazendo exigia um certo nível de certificação. Mas vá lá…. só que ele estava tão agitado que deixou solto e o cilindro dele caiu.

Todos os direitos resaervado © Roberto Palmer
Todos os direitos reservados © Roberto Palmer

A checagem do meu equipamento incluiu desmontar tudo o que eu tinha montado. E detalhes completamente desprezíveis. Por exemplo, a alça do colete “tem que” ficar presa entre o cilindro e o regulador. Ah ta…. Me deu aula disso. Tudo o que eu ia fazer ele interrompia. Arrancou a máquina fotográfica da minha mão e tirou um monte de fotos que eu jamais tiraria, fotos minhas com todas as caretas típicas do mergulho. Pra que isso???? Eu perguntei. Ele disse que era para mostrar para minha família. OK, tenho mais de 500 mergulhos. Minha família já entendeu que faço isso. Não preciso de provas! Só de boas fotos. Vamos para o mergulho… Ufa, o mergulho não foi tão ruim, aos poucos ele relaxou e pude aproveitar. Mas a questão do equipamento me deixou irritada, sim. Conferir o equipamento é obrigação. Mas desmontar e montar de novo não é checar. E impor uma configuração sabendo que não é obrigatória e eu prefiro outra? Arrancar uma máscara que eu já tinha passado anti embaçante e lavado para lavar de novo?

Já num liveaboard encontrei um Dive Master figura que era o oposto. Ninguém conseguiu descobrir a que veio. Não fazia nada. Tentou remanejar as cabines para ganhar uma só para ele, dormia que nem um porco, pegava nossas cangas para se enrolar, era o primeiro a se servir na comida e na sobremesa, procurando sempre os melhores pedaços para ele…rs… Tomava banhos detalhados após cada mergulho (não sobra água doce num barco!)… O que faz uma figura dessas num barco? Rsrs lembro: ele não estava de férias, estava a trabalho…. Eu acho.

Outra situação ocorreu durante o curso tec. Quando eu já estava pronta para o passo do gigante – e levantar do banco com uma dupla nas costas é uma odisséia para mim – sinto algo na torneira esquerda. Era o DM “conferindo” se estava aberta! Affffffffff….. quando, posteriormente, fiz meu curso de DM, encontro no manual: nunca toque no equipamento de um mergulhador técnico! Está lá! Aliás, tem muito DM que está precisando reler o manual. Eu sigo me esforçando para não ser como nenhuma dessas figuras que encontrei nos barcos da vida.

Monica Di Masi

Arquiteta, PhD em Planejamento Energético e Ambiental, Dive Master PADI e Mergulhadora Tech.


Compartilhe este artigo
  • 93
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  • 93
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Publicado por

Monica Di Masi

Arquiteta, PhD em Planejamento Energético e Ambiental, Dive Master PADI e Mergulhadora Tech.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.