Filmes, filmes e filmes

Existem vários filmes com cenas de mergulho ou subaquáticas, mas poucos tem o mergulho como personagem principal.

Sea Hunt, The Frogmen e os documentários de Jacques Cousteau talvez tenham feito parte da infância e porque não o motivo de muitos começarem a mergulhar.

Não pretendo dizer que o filme X é melhor que o Y, nem fazer uma lista de filmes ou documentários imperdíveis. Só quero apresentar alguns filmes que em minha opinião são um ótimo divertimento para quem é mergulhador ou gosta do babado.

Lembro que quando criança assisti um filme que me agradou muito, cenas que na época achei fantásticas e uma em particular me chamou a atenção, um acidente de mergulho.

Rochedos da Morte (1953)
“Beneath the 12-Mile Reef” (título original)

rochedos_morte
Diretor: Robert D. Webb
Roteiro: A.I. Bezzerides
Elenco principal: Robert Wagner, Terry Moore e Gilbert Roland
Direção de fotografia: Edward Cronjager
Direção de fotografia subaquática: Til Gabani, que também fez a fotografia subaquática de 20.000 Léguas Submarinas (1954)

Mike e Tony Petrakis são pai e filho que mergulham de escafandro para recolher esponjas na costa da Flórida. Depois de serem roubados, Mike o pai, decide mergulhar no perigoso recife a 12 milhas, local onde sofre um acidente fatal.

O filme é estrelado pelo Robert Wagner, o bonitão que fez muito sucesso no Brasil na década de 80 na pele do Jonathan Hart, o “cara” do Casal 20.
Este filme por ser de Domínio Público, poderá ser visto on-line ou caso prefira, o download em Archive Org

O Fundo do Mar (1977)
“The Deep” (título original)

the_deep
Diretor: Peter Yates
Roteiro: Peter Benchley, Peter Benchley e Tracy Keenan Wynn
Elenco principal: Jacqueline Bisset, Nick Nolte e Dick Anthony Williams
Direção de fotografia: Christopher Challis
Direção de fotografia subaquática: Al Giddings. Um dos melhores documentários sobre Galapagos (1999) também tem sua contribuição na fotografia subaquática, além do maravilhoso filme The Abyss – O Segredo do Abismo (1989).

deep
© Getty Images

Um casal de mergulhadores estão envolvidos com caçadores de tesouros quando descobrem uma carga “mortal” em um naufrágio nas águas das Bermudas.
A filmagem durou 153 dias, gastando 10.870 horas debaixo d’água e consumiu 1.054.000 metros cúbicos de ar comprimido.

A famosa cena da Jacqueline Bisset com a camiseta molhada foi um trampolim para ela se tonar um sex symbol de Hollywood e gerou um boca-a-boca que ajudou no sucesso de bilheteria. Dizem que essa cena foi responsável pelo surgimento dos famosos concursos “camiseta molhada”.
Uma outra curiosidade é que a máscara de silicone redonda e transparente usada por Jacqueline Bisset ficou famosa neste filme, pois permitia que entrasse mais luz através da máscara, possibilitando que os olhos e rosto da atriz fossem vistos nas cenas subaquáticas.
Existem duas versões desse filme, uma com 123 minutos e outra com 176 minutos.

Se quiser saber mais sobre o making of de The Deep, visite o site da TCM (Turner Classic Movies)

Imensidão Azul (1988)
“Le grand bleu” (título original)
grand_bleuDiretor: Luc Besson
Roteiro: Luc Besson, Robert Garland, Marilyn Goldin, Jacques Mayol e Marc Perrier
Elenco principal: Jean-Marc Barr, Jean Reno e Rosanna Arquette
Direção de fotografia: Carlo Varini
Operação de câmera subaquática: Luc Besson e Christian Pétron

O filme foi inspirado na história de vida do mergulhador italiano de apneia Enzo Maiorca. O filme mostra também a amizade e rivalidade com Jacques Mayol. Mayol foi um dos roteiristas.

A trilha sonora de Eric Serra completa as belas imagens e os sutis toques de humor.

O Segredo do Abismo (1989)
“The Abyss” (título original)
the_abyss_Diretor: James Cameron
Roteiro: James Cameron
Elenco principal: Ed Harris, Mary Elizabeth Mastrantonio e Michael Biehn
Direção de fotografia: Mikael Salomon
Direção de fotografia subaquática: Al Giddings.

O filme é sobre uma equipe de mergulho que trabalha em uma plataforma de petróleo e é requisitada pela Marinha para localizar e investigar a causa do acidente em um submarino nuclear.

Enquanto a tripulação embarca em sua missão, acabam encontrando uma espécie alienígena.

Este filme tem cenas realmente fantásticas, além de um roteiro envolvente, claro, para quem gosta de mergulho e ficção científica.

Uma das cenas que chamaram atenção neste filme foi o uso de perfluorcarbonos (PFC) em um mergulho. Se tiver interesse em ler mais sobre o uso de perfluorcarbonos, visite o site da DAN.

Homens de Honra (2000)
“Men of Honor” (título original)
homens_honraDiretor: George Tillman Jr.
Roteiro: Scott Marshall Smith
Elenco principal: Cuba Gooding Jr., Robert De Niro e Charlize Theron
Direção de fotografia: Anthony B. Richmond
Direção de fotografia subaquática: Pete Romano
Câmera subaquática: Cynthia Pusheck

A história de Carl Brashear, o primeiro Afro-americano, e também o primeiro mergulhador amputado da Marinha Americana e o homem que o treinou.

Não há o que falar desse filme, simplesmente assista.

Cuba Gooding Jr e Carl Brashear Foto: Matthew Cazier
Cuba Gooding Jr e Carl Brashear
Foto: Matthew Cazier

Mar Aberto (2003)
“Open Water” (título original)
open_waterDiretor: Chris Kentis
Roteiro: Chris Kentis
Elenco principal: Blanchard Ryan, Daniel Travis e Saul Stein.
Direção de fotografia: Chris Kentis e Laura Lau
Direção de fotografia subaquática: Chris Kentis e Laura Lau

Baseado na história verídica de dois mergulhadores que acidentalmente foram esquecidos no mar durante um mergulho.

Esse filme causou certo reboliço no mercado de mergulho quando foi lançado, pois muitos acreditavam que seria uma má publicidade para a atividade. Foi um filme independente, gravado com câmeras DV Sony VX2000 e PD 150 e depois transferido para película 35 mm.

Ganhou alguns prêmios, mas não foi nenhum blockbuster. Nós que amamos mergulho é que temos paciência para assisti-lo, mas vale o alerta para a importância de uma ficha de chamada bem feita da sua operadora de mergulho.

Bom mesmo foi para o diretor e roteirista, que vendeu os direitos por uma bela grana para que pudessem realizar o Mar Aberto 2, que claro, foi um fracasso.

A Vida Marinha com Steve Zissou (2004)
“The Life Aquatic with Steve Zissou” (título original)
life_aquaticDiretor: Wes Anderson
Roteiro: Wes Anderson e Noah Baumbach
Elenco principal: Bill Murray, Owen Wilson e Anjelica Huston
Direção de fotografia: Robert D. Yeoman
Direção de fotografia subaquática: Pete Romano

Com um plano para se vingar de um tubarão que matou seu parceiro, oceanógrafo Steve Zissou reúne uma equipe que inclui sua ex-esposa, uma jornalista, e um homem que pode ou não ser seu filho.

Alguns afirmam que foi baseado em fatos da vida de Jacques Cousteau, talvez o gorro vermelho e os uniformes tragam essa impressão.

O músico brasileiro Seu Jorge participa no filme como Pelé dos Santos e toca uma música em uma das cenas.

A Caverna (2005)
“The Cave” (título original)
the_caveDiretor: Bruce Hunt
Roteiro: Michael Steinberg e Tegan West
Elenco principal: Piper Perabo, Morris Chestnut e Cole Hauser
Direção de fotografia: Ross Emery
Direção de fotografia subaquática: Wes Skiles
Segundo operador de câmera subaquática: Anthony S. Lenzo

É um filme que mistura aventura com horror. O filme não é bom, mas possui imagens subaquáticas de cavernas, o que para mim já é o suficiente para assistir. Basicamente o filme é sobre um grupo de mergulhadores que fica preso em um sistema de cavernas alagadas e precisam achar a saída e ao mesmo tempo se livrar de “criaturas sedentas de sangue.”

Muito rebreather e scooter são usados nos mergulhos.

Mergulho Radical (2005)
“Into the Blue” (título original)
into_blueDiretor: John Stockwell
Roteiro: Matt Johnson
Elenco principal: Paul Walker, Jessica Alba e Scott Caan
Direção de fotografia: Shane Hurlbut
Direção de fotografia subaquática: Peter Zuccarini

Um jovem casal de mergulhadores e aspirantes a caçadores de tesouros que vivem nas Bahamas acabam se envolvendo com um traficante de drogas depois de terem achado uma carga ilícita em um avião afundado.

Tirando um detalhe e outro o filme parece um remake do The Deep, mas novamente as cenas subaquáticas valem a pena.
O avião utilizado nas filmagens é um ponto de mergulho nas Bahamas.

Santuário (2011)
“Sanctum” (título original)
sanctunDiretor: Alister Grierson
Roteiro: John Garvin e Andrew Wight
Elenco principal: Rhys Wakefield, Allison Cratchley e Christopher James Baker
Direção de fotografia: Jules O’Loughlin
Direção de fotografia subaquática: Simon Christidis

Sanctum é um thriller de ação que envolve a exploração de um sistema de cavernas. O filme foi inspirado em uma inundação real de uma caverna na Planície de Nullarbor na Austrália em 1988.

Uma equipe de mergulho corre risco de vida ao explorar um sistema de cavernas subaquáticas. Quando uma tempestade os obriga a ir mais fundo nas cavernas, esta equipe vê-se confrontada com a fúria das águas e com o pânico, enquanto luta para encontrar a rota desconhecida em direção ao mar.

Durante as gravações diziam que era um filme de James Cameron sobre os acontecimentos de 1988 na Austrália. Na verdade James Cameron era o produtor executivo e o filme não é sobre o acontecimento de 1988, os roteirista só pegaram a ideia da inundação e a usaram para iniciar a trama.

Originalmente, a produção pensou seriamente em gravar nas cavernas subterrâneas reais. No entanto, os aspectos práticos de carregar todo o equipamento, os espaços confinados e as baixas temperaturas da água dentro das cavernas, tornaram isso impossível. Foi utilizado um tanque contendo 7 milhões de litros de água para as cenas subaquáticas.

Ioan Gruffudd era o único membro do elenco totalmente certificado para mergulho antes do filme começar a ser gravado. Richard Roxburgh afirmou que a coisa mais difícil foi o treinamento com o rebreather, que ele descreveu como “fantástico na teoria, mas uma tortura na vida real”.

Em uma infeliz coincidência, Agnes Milowka, uma das duplas de mergulho do filme, se afogou depois de ficar sem ar logo após o filme ser lançado.

Para quem gosta de caverna é um prato cheio, com muito rebreather e máscaras full face.

Mergulho Profundo (2013)
“Pioneer” (título original)
pionnerDiretor: Erik Skjoldbjærg
Roteiro: Nikolaj Frobenius, Hans Gunnarsson, Nikolaj Frobenius, Cathinka Nicolaysen, Erik Skjoldbjærg e Kathrine Valen Zeiner
Elenco principal: Aksel Hennie, Wes Bentley e Stephen Lang
Direção de fotografia: Jallo Faber
Direção de fotografia subaquática: Teemu Liakka

Mergulho Profundo se passa durante a expansão do petróleo no início da década de 1980 na Noruega. Enormes depósitos de óleo e gás são descobertos no Mar do Norte e as autoridades pretendem trazê-los à terra por meio de um duto desde as profundezas de 500 metros. O mergulhador profissional Petter está obcecado pela ideia de atingir o fundo do mar. Juntamente com seu irmão Knut, ele tem a disciplina, a força e a coragem de assumir a missão mais perigosa do mundo. Mas um súbito e trágico acidente muda tudo.

Esta é a história da profissionalização e criação de regras para o mergulho profissional na Noruega. Vale a pena assistir.

Poderia citar mais alguns filmes e documentários, Fantasmas do Abismo (2003), Maré Negra (2012), Deepsea Challenge (2014) ou A Volta ao Mundo Sob o Mar (1966), mas acho que seria demais.

Deixe nos comentários abaixo quais filmes estariam na sua lista?

José Dias

José Dias

Diretor de fotografia, fotógrafo, instrutor de mergulho, foto e vídeo subaquáticos. Mergulhador tech e de cavernas.
José Dias

As nossas capitais mundiais dos naufrágios

Por Adair Ribeiro

Sempre ouvimos falar de viagens maravilhosas e novos pontos de mergulho a cada dia. Relatos com “indescritíveis” mergulhos feitos ao redor do mundo, sobre visibilidades enormes e temperatura de água acima 27º C e grande vida marinha. Comentários sobre “live aboards” com excelente estrutura, comida deliciosa e operação de mergulho impecável que fazem os diferenciais que todo mergulhador procura na hora da escolha de sua próxima viagem.

Ao contrário do que muitos imaginam, está no Brasil, mais precisamente no Nordeste, uma das melhores regiões de mergulho em naufrágios do mundo. São mais de 150 naufrágios registrados pelo pesquisador Maurício Carvalho, distribuídos pela região. E, para os que exigem operações e estrutura impecáveis, não terão surpresas, pois temos uma das melhores operações de mergulho em naufrágios do mundo!

Além disso, há grande quantidade e diversidade de vida marinha e os mais variados perfis de mergulhos.

Já há alguns anos, sempre no mês de janeiro, o cinegrafista subaquático José Dias reúne um grupo de mergulhadores (as) técnicos, mas sempre com a participação e espaço para mergulhadores recreacionais com experiência comprovada e partimos para uma expedição aos naufrágios do nordeste. Mergulhamos em aproximadamente 20 destes naufrágios.

Já utilizamos, em algumas dessas viagens, o ENTERPRISE, um catamarã de 75’, com oito confortáveis suítes, que atualmente está em operação em Parati e Ilha Grande.

Atualmente, os nossos live aboards são feitos a bordo do charmoso VOYAGER. Um catamarã vela/motor de 60’, todo construído com a finalidade única de proporcionar todo o conforto e estrutura necessária às operações de mergulho, tanto com perfis recreacionais, como para mergulhadores técnicos de todos os níveis.

Voyager_PLANTAUm dos grandes diferenciais destas expedições é a qualidade insuperável da tripulação:

– O experiente Nico, coordenando toda a operação de mergulho, desde a colocação dos mergulhadores na água até a logística de fornecimento de todos os gases necessários aos mergulhos;

– O mestre Rodrigues, que substituiu o mestre Djalma, que se aposentou. Experiente navegador que transmite toda a segurança em nossas navegações, sejam elas durante o dia ou à noite.

– A cada ano, temos um dive master/safety diver, responsável pela amarração da boia nos naufrágios e segurança dos mergulhadores na água. Já contamos com o profissionalismo do Henrique Maranhão, Nascimento (PQD), Juarez, Nilo e o Marcel do Espírito Santo, entre outros. Todos sempre atenciosos e simpáticos.

All Rights Reserved / Todos os Direitos Reservados. Proibido a reprodução sem autorização por escrito dos autores. Todos os textos e fotos estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais nº 9.610, de 19.02.98.
Chef Cícero Foto © Paulo Menezes

No comando da cozinha, uma das atrações à parte da expedição, temos as delícias preparadas pelo Chef Cícero, vindo de Noronha. É impossível resistir aos famosos bolos de chocolate e pães de queijo nos intervalos dos mergulhos. As saborosas e diversas refeições realizadas ao longo do dia nos deixam com pelo menos 2 kg a mais ao final da viagem.

Mergulhadores de várias partes do Brasil já tiveram a oportunidade de se reunir nestas expedições e conhecer de perto as maravilhas de nossos naufrágios e a grande diversidade de nossa vida marinha.

Já mergulhamos desde as agitadas águas do Rio Grande do Norte, conhecendo as maravilhas e a história dos naufrágios São Luis e Comandante Pessoa; e descobrindo os mistérios da Risca do Zumbi e Batente das Agulhas, que segundo a opinião do geólogo e mergulhador Cláudio Couto, que já participou de nossas expedições, seriam:


“ Arenitos de praia submersos, também conhecidos como recifes inorgânicos, ou seja, areias de praia cimentadas pela precipitação de carbonato de cálcio da água do mar. Agora, uma coisa é entender como as rochas se formaram, outra, seria saber como a erosão produziu aquelas formas (colunas e buracos) que vimos nos nossos mergulhos. Não encontrei nada na literatura científica sobre a erosão que produziu essas formas inusitadas do relevo submarino. Mas uma erosão forte normalmente acontece com exposição aérea. Ou seja, nos seus avanços e recuos cíclicos, o nível do mar deve ter deixado tais rochas expostas e a ação do vento, chuva, rios e etc fizeram seu trabalho. As partes mais resistentes ou mais cimentadas sobrevivem mais e ficam como um registro da história do planeta.”


De Natal, após navegação nem sempre muito tranquila para os mais novatos, já descobrimos as maravilhas dos mares da Paraíba. Do pequeno naufrágio Alvarenga ao vapor Queimado (Erie).

Em Pernambuco, a conhecida capital brasileira dos naufrágios, e uma das capitais mundiais dos naufrágios, não nos cansamos de filmar e fotografar toda a exuberância de moreias, arraias, tartarugas, cardumes de enxadas, meros, cardumes de piragicas gigantes, barracudas, pampos, xaréus, cirurgiões, peixes de passagem, lambarus enormes e toda a vida marinha que habita os seus naufrágios.

All Rights Reserved / Todos os Direitos Reservados. Proibido a reprodução sem autorização por escrito dos autores. Todos os textos e fotos estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais nº 9.610, de 19.02.98.
Vapor Bahia Foto © Roberto Palmer

Da majestade do Vapor Bahia às profundezas da Corveta Camaquã e Vapor dos 48, da história do Pirapama aos rebocadores Flórida, Mercurius, Marte e o Servemar I, do não identificado Vapor de Baixo ao polêmico Gonçalo Coelho, das dragas Dragão (que o biólogo e pesquisador de naufrágios Maurício Carvalho, em uma das expedições, identificou como André Rebouças) e Draguinha, às chatas Sequipe e chata de Noronha, do recente naufrágio artificial Walsa aos tantos outros naufrágios da região, não nos cansamos de efetuar, a cada ano, mergulhos e mais mergulhos.

All Rights Reserved / Todos os Direitos Reservados. Proibido a reprodução sem autorização por escrito dos autores. Todos os textos e fotos estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais nº 9.610, de 19.02.98.
Carlão Foto © Paulo Menezes

Em Alagoas, o Itapagé, um dos mais belos naufrágios do Brasil e do mundo, com sua história nos remetendo à 2º Guerra Mundial, quando foi atingido por dois torpedos lançados pelo U-Boat U-161, afundando na altura da Lagoa Azeda. Meu primeiro mergulho neste naufrágio foi em 1989, saindo da Barra de São Miguel, a bordo de uma “janga”, pequena embarcação típica de Alagoas. E, não nos cansamos de dizer que em uma única expedição – uma semana de mergulhos, com aproximadamente 18 mergulhos – não seria suficiente para conhece toda a grandeza do Itapagé.

Em cada imersão, uma nova descoberta, novas imagens e novas emoções que atraem a atenção dos mergulhadores, dos fotógrafos e cinegrafistas de plantão. Noturnos incríveis que nos mostram uma exuberante e diferente fauna marinha que habitam os naufrágios longe da luz do sol.

Como já tive a sorte de conhecer, em duas expedições, o sonho de consumo de 10 em cada 10 mergulhadores de naufrágios – TRUK LAGOON – e já ter mergulhado em vários dos naufrágios existentes na Flórida e no Caribe, não tenho receio de fazer uma comparação que pode deixar muita gente perplexa: Os nossos mergulhos no nordeste não deixam nada a desejar para lugar nenhum do mundo.

As águas com temperaturas médias de 28ºC, visibilidade de 20-30 metros, uma vida marinha rica e diversificada, fazem a alegria dos mergulhadores, principalmente, para os amantes de naufrágios e para os mergulhadores que não abrem mão de uma operação segura e estruturada em saídas técnicas. Com disponibilidade de vários tipos de misturas, inclusive trimix e com facilidades para mergulhadores de rebreather.

All Rights Reserved / Todos os Direitos Reservados. Proibido a reprodução sem autorização por escrito dos autores. Todos os textos e fotos estão protegidos pela Lei de Direitos Autorais nº 9.610, de 19.02.98.
Marte Foto © Roberto Palmer

Isto é o que encontramos aqui bem perto, sem precisar sair do Brasil e com a qualidade que todo mergulhador deseja!

E como se não bastasse, ainda temos as belezas de Recife, Olinda, Maceió, Itamaracá, Jacaré e tantos outros lugares que visitamos nas nossas expedições, seja para tomar uma “gelada” ou somente para esticar as pernas. Tudo isso completa o melhor live-aboard do Brasil.

Dicas para um melhor aproveitamento na expedição:

– Certificação: Mergulhador Avançado, Nitrox e de Naufrágios com preferência para Nitrox Avançado e acima.

Para maiores informações sobre naufrágios existentes no Brasil, consultar: www.naufragiosdobrasil.com.br.

Se quiser receber informações das expedições aos naufrágios do nordeste. Preencha o formulário abaixo.